Estado - Francisco Perna Filho

Estado

Embora presa,
a água borbulha solta na chaleira
efervescente.
É de fora
a sua natureza líquida.
Não há fôrma que a aprisione,
não há temperatura que a molde.

Embora verso,
embora prosa,
A poesia sabe-se leve,
sabe-se solta.
Amorfa,
não se prende ao vocábulo.

Francisco Perna Filho



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário