Nos dez de galope da beira do mar - Poeta Zé Luiz

É hoje o Brasil, um lar de desgraça,
Cinema de farsas, teatro de embustes,
Porão de famintos, vassalo de trustes,
Cassino de jogos fedendo a trapassa,
Que os jornais enganam, que a mídia não passa,
De um laboratório de alienar,
Tornou-se o congresso um trono vulgar,De olhos que não vêem, de almas que não sentem,
De corpos que luxam, de bocas que mentem,
NOS DEZ DE GALOPE DA BEIRA DO MAR.
Brasil hoje em dia seus cidadãos sentem,
Juros extorsivos, pesados impostos,
De mentiras claras, de escândalos expostos,
Que os grupos não cobrem por muito que tentem,
Que seus governantes calados consentem,
Que Dráculas de fora venham lhe sugar,
De uma dívida externa quase secular,
Que é paga com notas que são carimbadas,
Na tinta do sangue das mãos exploradas,
NOS DEZ DE GALOPE DA BEIRA DO MAR.
Poeta Zé Luiz

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário