Reconciliação - Daniel Castilho

Reconciliação

Lembrara-o de seu romantismo, lembrara-se de suas fantasias.
Antes que acabasse a nostalgia, ele a convidou para ser sua companhia.
E acredite, ela aceitou o convite, pois não lembrar a ultima vez que o via de joelhos.
E depois de tanto tempo, ele se fez mulher em frente ao espelho.
A noite ganhou graça, dividiram as taças, seguiram em frente.
Voltaram-se os anéis, rasgaram-se os papéis, que um dia impediram eles de ser “pra sempre”.
Ele se borrou de batom, dela se ouvia os sons, a noite ganhou um decreto.
A última vez que se amaram assim seus filhos eram pequenos, agora pequenos são seus netos.
O tempo cruzou os seus caminhos, mas eles tornaram o amor em vinho, quanto mais velho melhor pra se provar.
E então, o sol apareceu, a lua se escondeu, enquanto o amor continuava a amar.

Daniel Castilho


Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário