Como a fênix - Marlete Alves

Como a fênix

SOU adaga de loucura
Larga-me, depois procura
Ama, apenas, admira
Em todas as vidas pós vida
Meu corpo não tem história
Sou memória, sou clarão
Na solicitude é glória
Ama, só com o coração
Serei musa em teus versos
Deita-me, somente em sonho
Colecionador de sexo
Em teu leito eu me disponho
No crepúsculo no amanhecer
A castidade é sofrer
Ao desvendares meus segredos
Mata-me, e eu voltarei
Fúnebre sou perecer
Sou a fênix do teu desejo

Marlete Alves



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário