No pódium dos prazeres - Miguel de Souza

No pódium dos prazeres

Numa potência vítrea de olhos baços
Escancaro, potentes, os tentáculos
Para provar também que sempre másculo
Sorvo da tênue força de seus braços.

E me extravio de emoção no aço
De seus olhos pungentes meio imáculos
Para mostrar-me lentes sustentáculos
Viro caça, e de agora em... não mais caço!

Fui pego pelas grades amicais
Que transformaram minha vida em ais...
Ais de gozos, de lúdicos dizeres...

E a força máscula do homem ágil
Foi vencida também... e o sexo frágil
Ergue a taça no pódium dos prazeres!

Miguel de Souza




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário