É preciso o céu - Bruna Longobucco

É preciso o céu

Essa imagem
É o retrato do mundo
Um rio sem fundo
Sem leito nem margem

Essa imagem
É um tanto de saudade
Uma nostalgia escondida
Uma vontade sentida
De versificar a vida
De poetizar a alma

Estrofes incansantes
Desafiam meu destino
Seguem em desatino
Já não leem o sentido de agora
Tampouco definem o antes

Agarram-se à superfície da água
Imersos num tempo incomum
Não há medo ou mágoa
E o que resta
São quereres...

Que pra querer não é preciso ter chão
É preciso ter força
É preciso o céu.

Bruna Longobucco

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário