Os tempos - Aloísio de Castro

Os tempos

Este que vai e os passos indecisos
Trôpego arrasta no caminho incerto,
Nunca escutou do tempo os maus avisos,
Cada dia lembrando o fim tão perto.
Intrêmulo cruzou mar e deserto,
Dilatadas planícies e altos visos,
Floreou a espada a peito descoberto
Colheu nos bailes graças e sorrisos.
Paixões, trabalhos e perigos tantos,
Tudo outrora venceu. Hoje, acurvado,
Fitando a terra chora os desencantos.
E essa carcaça lúgubre e medonha,
Levando o extinto corpo do passado,
Como em suspiros diz: "Triste quem sonha!"

Aloísio de Castro

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário