Amor, amor, amor... - Giano Guimarães

Amor, amor, amor...

Amor que me incomoda
Que desfigura minha alma
Que me tira a calma
Que ao passado me torna

Amor que me surpreende
Que acumula lembranças
Que me traz esperanças
Que vai e vem de repente

Amor de anos e anos
Que persiste em mim
Que parece sem fim
Que muda meus planos

Amor de dor e sofrimento
De sangue e feridas
De chegadas e partidas
De choros e lamentos

Amor de paz e alegria
Que me consola e dá alento
Que leva embora meu tormento
Que me tira a agonia

Amor que me dói o peito
Que sempre me segue,
Que em tudo me persegue
Que me deixa sem jeito

Amor de quem ama o defeito
De quem só vê qualidades
De quem não vê a verdade
De quem vê o outro perfeito

Amor que não se acaba
Pois é imenso quanto o mundo
E do que o mar é mais profundo
Amor que sinto pela amada

Amor que me inflama
Que me tira do sério
Que também é mistério
Amor que me engana

Amor que está em tudo
Faz parte de toda a vida
Está na chegada e na partida
Amor do grande e do miúdo

Amor que dá lugar ao rancor
Quando se pensa que acabou
Invade de novo aquele que amou
Levando embora a grande dor

Amor de classe social
Do rico e do pobre
Do plebeu ou do nobre
De um mundo desigual

Amor do inicio ao fim
Amor de trás pra frente
Mudo ou eloquente
Amor do não, amor do sim

Giano Guimarães

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário