Um boêmio no céu - Catulo da Paixão Cearense

Um boêmio no céu
(O boêmio com temor à São Pedro)

Meu Pai, será um crime imperdoável
Perguntar-vos por onde vaga o Monstro,
O Judas, vendedor do Pai Divino?

Queres que eu seja franco?
Nem eu mesmo
Posso informar-te sobre o seu destino!

Através de seu cérebro bizarro
Que pensas desse tigre, dessa hiena?!

Eu lhe voto rancor, ódio profundo,
Mas lamento, Senhor, sua desgraça,
E desse vil herói chego a ter pena!
Senhor, ouso dizer, humildemente
Á vós que renegastes Jesus Cristo,
A vós, que o grande Mestre bendiz
que não existe coração perverso,
mas coração feliz ou infeliz.

Vós deveis ser a Judas muito grato,
Perdoar de coração esse bandido,
O maior dos maiores condenados,
Que ficam para sempre relembrados,

Esses homens fecais feitos de pús,
Pois se foi certo que vendeu a Cristo,
Também foi certo, que, ao beijar-lhe a face,
Lhe deu glória universal da cruz!

Sem esse grande miserável... Judas,
Existiria Deus... mas não, Jesus.


Catulo da Paixão Cearense



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário