Meu Pai (Ivone Boechat)

Meu Pai

Gosto de rever
a imagem forte do meu pai,  

tremendo o assoalho
ao caminhar.
É doce me lembrar
como se temia
quando ele perdia
a abotoadura,
o guarda-chuva,
a chave de fenda!
Hoje é lenda,
a figura enigmática,
a disciplina dura,
a rotina sistemática.
O pai não morre,
ele corre na frente
pra levantar o segredo do véu
e guardar pra gente
o lugar mais estrelado do céu.


Ivone Boechat



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário