O ocaso - Abel Pereira

O ocaso

No rio profundo
o sol parece outro sol
a emergir do fundo.

Pelo vão das telhas
o dia olha, e se anuncia
em vestes vermelhas.

Um grão bem miúdo...
Um nada à margem da estrada...
Um nada que é tudo.

Poucos vaga-lumes,
e a costureira não pôde
enfiar a agulha.

Ai, dos vaga-lumes!
Eles são muitos, e minha
horta é pequena!

Abel Pereira

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário