A inquietude da roseira - Alfonsina Storni

A inquietude da roseira
A roseira em seu inquieto modo de florescer
Vai queimando a seiva que alimenta seu ser.
Prestai atenção nas rosas que caem no rosal:
Tantas caem que a planta morrerá deste mal!
Não é adulta a roseira e sua vida impaciente
Se consome ao dar flores precipitadamente.

Alfonsina Storni
Tradução de Cristiane Carvalho e Manolo Graña



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário