Queda - Camilo Pessanha,


Queda

O meu coração desce,
Um balão apagado.
Melhor fora que ardesse
Nas trevas incendiado.

Na bruma fastidienta...
Como à cova um caixão.
Porque antes não rebenta
Rubro, n'uma explosão?

Que apego inda o sustem?
Atono, miserando.
Que o esmagasse o trem
De um comboio arquejando.

O inane, vil despojo.
Ó alma egoista e fraca...
Trouxesse-o o mar de rojo
Levasse-o na ressaca.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário